Navegação

A CIÊNCIA DO ANTAHKARANA


Ciência do Antahkarana

Como preparação para o que os estudantes precisam dominar, gostaria de enfatizar certos pormenores relacionados à informação já dada. A Ciência do Antahkarana não é fácil de aprender devido aos pontos seguintes. Estes detalhes salientados devem ser aceitos pelos estudantes como uma hipótese útil, anterior a todo trabalho empreendido:

1) A Ciência do Antahkarana está ligada ao problema inteiro da energia, mas especialmente com a energia manipulada pelo indivíduo e com as forças pelas quais o indivíduo se relaciona com outros indivíduos ou com grupos. A bem da clareza, daremos o nome de:

a) ENERGIA: a todas as forças fluindo para a forma individual, seja qual for a direção ou fonte. A essas forças maiores têm sido dados, frequentemente, os nomes de sutratmas ou fio da vida ou cordão prateado.

b) FORÇA: a todas as energias que - após devida manipulação e concentração - são projetadas pelo indivíduo, ou pelo grupo, em qualquer direção e por todos os motivos possíveis, alguns bons e muitos egoístas.

2) A Ciência do Antahkarana, falando tecnicamente e para finalidade grupal, é principalmente a ciência da manifestação da luz com seus efeitos de revelação e consequentes mudanças. Deveria ser lembrado que:

a) A luz é o ponto essencial e, do ângulo do espírito, é uma sublimação ou uma forma superior da matéria densa.

b) A luz é também a qualidade ou a característica principal da alma ao seu próprio reino, e do corpo etérico (um reflexo da alma, por fim) nos três mundos da evolução humana.

c) O objeto da ciência com que estamos lidando, é fundir as luzes inferior e superior para que uma luz brilhe na manifestação física e uma síntese da luz se realize em consequência.

d) falando tecnicamente, existem dois corpos de luz - o corpo vital ou etérico, e o veículo da alma. Um é o resultado dos eões de vida encarnada e se torna, com o tempo, um poderoso repositório de energias acumuladas através de uma larga série de contatos, mesmo que condicionado ao tipo de raio em seus três aspectos. O corpo etérico existe e está hoje funcionando poderosamente. O corpo da alma está em processo de lenta construção e é aquela "casa não feita pelas mãos, eterna nos céus" à qual se refere o Novo Testamento (II Cor. 5:1). É interessante observar que o Velho Testamento se refere ao corpo etérico (Ecc. 12:6 - 7) e à sua construção, e o Novo Testamento trata da construção do corpo espiritual.

3) A Ciência do Antahkarana deve ser estudada de três maneiras:

a) Concretamente e em relação ao corpo etérico, que é uma forma material, tangível, e está sendo assim considerada (mesmo que ainda não aceita universalmente) pela ciência moderna.

b) Egoicamente e em relação à alma e ao "corpo de luz" através do qual o homem espiritual deve atuar no mundo das almas, e que - quando harmonizado e fundido com o corpo etérico - produz a manifestação da divindade na terra a um maior ou menor grau, de acordo com a extensão da fusão e o reconhecimento consciente pelo indivíduo, da fusão obtida.

c) Abstratamente e em relação à sabedoria-conhecimento, que são duas palavras usadas em relação à força e à energia, e ao seu uso pelo indivíduo no seu ambiente e em seus contatos. Considerai estas palavras. Percebereis quão necessário é haver alguma capacidade de pensamento abstrato, antes das verdadeiras implicações desta nova ciência poderem ser compreendidas.

4) A Ciência do Antahkarana diz respeito ao problema da continuidade da consciência e ao problema da vida e da morte. Tende estes dois temas bem claros em mente, pois são básicos e importantes.

5) A Ciência do Antahkarana lida com os três fios que conectam:

a) A mônada, a alma e a personalidade, ligando todos os três veículos periódicos e unificando todos os sete princípios.

b) A tríplice personalidade e seu ambiente nos três mundos do empreendimento humano, e mais tarde nos outros dois mundos (perfazendo cinco) da expressão super-humana.

c) O homem conscientemente criativo e o mundo das ideias. Estas ele deve contatar e expressar através do trabalho criativo, assim abrindo caminho à luz:

1) Entre o mundo das almas e o mundo dos fenômenos.

2) Entre o reino da beleza subjetiva e da realidade, e o mundo exterior tangível da natureza.

3) Entre ele próprio e os demais.

4) Entre os grupos.

5) Mais tarde, quando o Plano divino se tenha tornado realidade para ele, entre o quarto reino (o humano) e o quinto reino (o de Deus).

6) Finalmente, entre a humanidade e a Hierarquia.

6) A Ciência do Antahkarana é a ciência do fio tríplice que existe desde o princípio dos tempos e liga o homem individual à sua origem monádica. O reconhecimento deste fio e o seu uso consciente, como o Caminho e o meio de sempre expandir contatos, chega relativamente tarde no processo evolutivo. A meta de todos os aspirantes e discípulos é tornarem-se conscientes desta corrente de energia em suas variadas diversificações, e empregar, conscientemente, essas energias de duas maneiras: interiormente, num auto desenvolvimento, e no serviço do plano para a humanidade.

7) A Ciência do Antahkarana ensina certas verdades fundamentais sobre o fio, algumas das quais são assim enumeradas:

a) O fio da vida (sutratma) vem diretamente da Mônada ou o UNO. Este fio está ancorado no coração durante a encarnação. Aí fica a sede da vida.

b) O fio da consciência (antahkarana) vem diretamente da alma. Está ancorado na cabeça. Aí fica a sede da consciência.

c) O fio da atividade criativa é iniciado e construído pelo ser humano. Está ancorado, quando suficientemente construído, na garganta. Este fio é uma extensão, ou síntese, dos dois fios básicos. O fio da atividade criativa, por si só, é de natureza tríplice. É construído lentamente pelo homem, através das idades. À medida que ele se torna verdadeiramente vivo, do ponto de vista da conscientização inteligente e do desejo de expressar-se plenamente, o processo se apressa materialmente. Estes três fios menores autocriados, que constituem o terceiro fio do antahkarana, finalmente se estendem:

1) do corpo físico ao corpo etérico, passando do coração ao baço e daí ao corpo de prana, o corpo vital, ou etérico, une-se com a força das pétalas da vontade egoica.

2) do corpo etérico ao corpo astral. Este fio passa do plexo solar ao coração e daí ao corpo astral e, recolhendo a energia do fio mencionado acima, une-se com a força das pétalas do conhecimento.

3) do corpo astral para o veículo mental. Este fio passa do centro ajna para o centro da cabeça e de lá para o corpo da mente, recolhendo a energia dos dois outros fios mencionados acima, une-se com a força das pétalas do conhecimento.

Embora estas três energias sejam tecidas por fim num único fio, contudo elas permanecem distintas. Dever-se-ia ter em mente que o corpo da alma é construído de luz branca pura, enquanto que a luz da qual o corpo etérico é feito é dourada.

8) A Ciência do Antahkarana lida, portanto, com o completo sistema de energia entrante, com o processo do uso, e com a transformação e fusão. Lida também com as energias que partem e seu relacionamento com o ambiente, e é a base da ciência dos centros de força. As energias que entram e saem constituem, por fim, duas grandes estações de energia, uma caracterizada pelo poder e outra pelo amor, e todas direcionadas para a iluminação do indivíduo e da humanidade como um todo, por meio da Hierarquia composta de indivíduos. Esta é, basicamente, a ciência do Caminho.

O antahkarana é, por conseguinte, o fio da consciência, da inteligência, e o agente que responde em todas as reações sensíveis.

O ponto interessante para se ter em mente, e ao qual devemos agora dar ênfase, é que este fio da consciência é desenvolvido pela alma e não pela Mônada. A Alma do Mundo verte seu delgado fio de consciência sensível em todas as formas, em todas as células do corpo e em todos os átomos. A alma humana, o anjo solar, repete o processo em relação à sua sombra e reflexo, a personalidade. Isto é parte do trabalho criativo da alma. Mas, o ser humano, por sua vez, também tem de se tornar criativo no sentido mental do termo e deve repetir o processo, pois em todos os pontos o microcosmo se assemelha ao macrocosmo. Portanto, através do fio da vida, a alma cria e reproduz a personalidade, por meio da qual funciona. Então, através da construção do antahkarana, a alma, antes de tudo, desenvolve a consciência no plano físico e mais tarde cobre o espaço - através da meditação e do serviço - entre os três aspectos mentais. Completa assim a criação do caminho de retorno ao Centro, que deve ser comparável ao caminho da saída.

Início