Navegação

Página Inicial

O DESTINO DAS NAÇÕES


INTRODUÇÃO

É para nós de maior interesse saber algo sobre as energias e as forças que estão produzindo a atual situação internacional e apresentando os complexos problemas com os quais as Nações Unidas se confrontam. Em última análise, toda a história é o registro dos efeitos dessas energias, ou irradiações (raios, em outras palavras), conforme agem sobre a humanidade em seus vários estágios de desenvolvimento evolutivo. Esses estágios se estendem por todo o caminho, desde a humanidade primitiva à nossa moderna civilização; tudo que aconteceu é o resultado dessas energias, precipitando-se ciclicamente através da natureza e daquela parte da natureza a que chamamos de reino humano.

Para se compreender o que está acontecendo hoje, precisamos reconhecer que essas energias são em número de sete. São chamadas por muitos nomes em muitos diferentes lugares, mas para nosso propósito serão usados os sete nomes seguintes:

1 - A energia da Vontade, Propósito ou Poder, chamada a energia do Poder de Deus, nos países cristãos.

2 - A energia do Amor-Sabedoria, chamada frequentemente o Amor de Deus.

3 - A energia da Inteligência Ativa, chamada a Mente de Deus.

4 - A energia da Harmonia através do Conflito, afetando grandemente a família humana.

5 - A energia do Conhecimento Concreto ou Ciência, tão potente a esta época.

6 - A energia da Devoção ou Idealismo, produzindo as correntes ideológicas.

7 - A energia da Ordem Cerimonial, produzindo as novas formas de civilização.

Estas energias agem incessantemente na humanidade, produzindo mudanças, expressando-se através de sucessivas civilizações e culturas, e criando as muitas raças e nações.

Isto, de maneira alguma, infringe o livre-arbítrio do homem; estas forças têm tanto seus aspectos superiores como seus aspectos inferiores, e os homens respondem a elas de acordo com seu desenvolvimento mental e espiritual, tal como o fazem as nações e as raças como um todo. A humanidade alcançou hoje um ponto em que há uma resposta mais sensível ao que é superior e melhor.

Este ensinamento concernente aos sete raios será uma especulação improfícua, a menos que seja suscetível de investigação, de prova eventual e de utilidade, tanto geral quanto particular. Muito do que se escreve atualmente terá de ser relegado à inutilidade, por não assegurar aceitação como hipótese plausível e por não mostrar uma verdade que possa ser provada. Procuro, portanto, fazer aqui duas coisas:

1 - indicar, como o tereis percebido, a nova psicologia esotérica poderosamente eficiente, e também,

2 - mostrar as linhas de desenvolvimento que são inevitáveis, pela razão de certas potências maiores estarem, atualmente, entrando em ação. Certas-forças estão-se tornando crescentemente ativas enquanto outras estão se inativando acentuadamente. São estas forças ativas que consideraremos agora.

Gostaria de interromper aqui e destacar que estas forças entram em ação, seja ciclicamente seja por necessidade. Este é um ponto interessante para os estudantes lembrarem. O trabalho feito por meio da Grande Invocação não é, então, necessariamente sem validade. Talvez fique mais claro se eu destacar que há cinco energias (e sempre há, habitualmente, cinco raios dominantes de energia ativa) entrando em ação:

1 - As energias que estão saindo de manifestação, como o sexto Raio da Devoção, que se está retirando atualmente.

2 - As energias que estão entrando em manifestação, ou encarnação, como agora está ocorrendo com o sétimo Raio da Ordem Cerimonial.

3 - As energias que - em certas ocasiões - expressam o tipo de raio da maioria da humanidade em manifestação. Hoje esses tipos de raio são predominantemente o segundo e o terceiro. Relativamente grande número de egos do primeiro raio são também encontrados, atuando como ponto focais para certas forças do primeiro raio.

4 - As energias que estão atualmente sendo invocadas como resultado da necessidade e da exigência humanas por socorro. Esta demanda, por estranho que pareça, permanece grandemente no domínio da influência do primeiro raio, pois a desesperada necessidade da humanidade está evocando o aspecto vontade e esse raio personifica a divina vontade-para-o-bem, permanece imutável e - pela primeira vez na história da humanidade - está sendo amplamente invocado. Esta afirmativa é decididamente encorajadora, se estudardes suas implicações.

Tendes, portanto, no presente campo de expressão divina, as seguintes energias se manifestando:

1 - A energia do idealismo, da devoção, ou da atenção devotada, corporificada no sexto raio.

2 - A energia cuja função maior é produzir ordem, ritmo e ordenada atividade sequencial - no sétimo Raio do Ritual Cerimonial.

3 - A energia do segundo raio, que está basicamente sempre presente no nosso sistema solar, a do amor-sabedoria, ao qual pertencem hoje, e a que crescentemente pertencerão, muitos dos egos em encarnação. A razão é que é a esse tipo de ser humano que o trabalho de reconstrução e de reedificação está naturalmente confiado.

4 - A energia da inteligência, mostrada ativamente na habilidade criativa. A habilidade criativa do futuro emergirá em escala relativamente ampla no domínio do viver criativo e não tanto no reino da arte criativa. Este viver criativo expressar-se-á através de um novo mundo de beleza e de reconhecida expressão divina; através da forma externa, a "luz do viver" (como é chamada esotericamente) far-se-á patente. O símbolo e aquilo que ele representa, serão conhecidos e vistos. Esta é a energia do terceiro Raio da Inteligência Ativa, trabalhando através da manifestação da beleza.

5 - A energia do aspecto vontade, da divindade. Isto tem sido pouco expresso e compreendido pela humanidade até o presente, mas chegou o tempo quando deve ser mais bem compreendido. A expressão da necessidade por parte de nossas inumeráveis forças planetárias não foi ainda adequada para invocá-la, e por esta invocação o grande Senhor do Mundo tem esperado pacientemente. O chamado foi agora emitido. Suas primeiras fracas notas foram ouvidas há duzentos anos e o som e o pedido aumentaram em volume e potência até que hoje esta grande energia está fazendo sentir claramente sua presença.

Estou ansioso para que possais perceber a potência e o efeito destas cinco energias: tal como agem sobre nosso planeta, evocam resposta - boa ou má - e produzem o tumulto e o caos, as forças combatentes e as influências benéficas. Explicam, portanto, na sua totalidade, tudo o que vemos acontecer ao nosso redor atualmente. Nos livros que são escritos hoje, num esforço para solucionar os problemas das causas das presentes condições mundiais, os escritores estão apenas lidando com efeitos. Poucos há que possam penetrar no distante mundo das causas, ou perscrutar aquele passado, e ver o passado e o presente na sua perspectiva verdadeira. Entretanto, procuro considerar as causas - predisponentes, asseguradoras, determinantes e produtivas daqueles acontecimentos que causam o presente estado de coisas. Trato das energias; elas dizem respeito às forças resultantes. Lembro-vos aqui de que esses efeitos que produzem tanto medo, presságio e inquietação são apenas temporários, e darão lugar àquela imposição ordenada, rítmica, do necessário idealismo que, por fim, será empregado pelo amor, motivado pela sabedoria, em cooperação com a inteligência. Tudo será impulsionado por uma dinâmica (não passiva) vontade-para-o-bem.

Dividiremos o que tenho a dizer em dois pontos:

1 - A situação e suas causas de raio no presente imediato.

2 - A situação no futuro, quando a Era de Aquário esteja realmente estabelecida e as influências piscianas não mais sejam dominantes.

Antes, porém, de considerarmos esses pontos, tenho alguns comentários introdutórios a fazer. E necessário que os estudeis e os compreendais, pois de sua correta aceitação e compreensão dependerá o benefício que obtereis com meu ensinamento sobre esses pontos.

É desnecessário observar que a história do mundo é baseada no aparecimento de ideias, sua aceitação, sua transformação em ideais, e sua final substituição pela imposição de ideias seguintes. É neste domínio das ideias que a humanidade não é um agente livre. Este é um importante ponto a considerar. Uma vez que uma ideia se torne um ideal, a humanidade pode livremente aceitá-la ou rejeitá-la, mas as ideias vêm de uma fonte superior e são impostas à mente racial, queiram-no os homens ou não. Do uso feito dessas ideias (que são da natureza das emanações divinas, corporificando o plano divino para o progresso planetário) dependerá a rapidez do progresso humano ou seu retardamento por falta de compreensão.

A humanidade está hoje muito mais sensível às ideias do que antes, e daí as muitas ideologias conflitantes e o fato de que - em defesa de seus planos - mesmo a mais recalcitrante das nações têm de descobrir alguma desculpa idealística para ser colocada ante as outras nações, quando ocupada com alguma infração de reconhecida lei. Este é um fato de grande significação para a Hierarquia, uma vez que indica um ponto alcançado. As maiores ideias no mundo atual caem em cinco categorias que faríeis bem em lembrar:

1 - As antigas e herdadas ideias que controlaram a vida racial durante séculos - agressão por amor à posse e à autoridade de um homem ou de um grupo, ou uma igreja que representa o Estado. Por motivos políticos tais poderes podem trabalhar por trás das cenas, mas seus dogmas e motivos são facilmente reconhecíveis - ambição egoísta e uma autoridade violentamente imposta.

2 - As ideias que são relativamente novas, tais como nazismo, fascismo e comunismo, mesmo não sendo realmente tão novas quanto as pessoas são capazes de pensar. São iguais num ponto importante, isto é, o Estado ou a comunidade de seres humanos tem importância enquanto o indivíduo, não; ele pode ser sacrificado a qualquer momento pelo bem do Estado, ou o assim chamado bem geral.

3 - A ideia, nem velha nem particularmente nova, da democracia, na qual (supostamente, mas não ainda de fato) o povo governa e o governo representa a vontade do povo.

4 - A ideia de um estado mundial, dividido em várias grandes partes. Este é o sonho dos poucos de mentalidade todo-inclusiva, para o qual muitos consideram a humanidade ainda despreparada. Em direção a isto o mundo inteiro está dirigido, a despeito de suas muitas ideologias, cada qual lutando pela supremacia e esquecido do importante fato de que todas essas ideologias podem ser temporariamente adaptadas aos grupos ou às nações que as adotam. Nenhuma delas é adequada ao uso geral (e o digo igualmente, da democracia ou de outra qualquer ideologia); elas satisfazem bem, com toda probabilidade, as nações que as aceitam e moldam sua vida nacional em suas premissas; são apenas substitutos transitórios neste período de transição entre as eras pisciana e aquariana, e não podem durar permanentemente. Nada ainda é permanente. Quando a permanência for alcançada, a evolução cessará e o plano de Deus estará consumado. E então? A revelação maior virá ao final deste período mundial, quando a mente humana, a intuição e a consciência da alma sejam tais que a compreensão será possível.

5 - A ideia de uma Hierarquia espiritual que governará o povo por todo o mundo e corporificará em si mesma, os melhores elementos dos regimes monárquico, democrático, totalitário e comunista. Muitos destes grupos de ideologia têm latente em si, muita beleza, força e sabedoria, e também uma contribuição valiosa e profunda para fazer ao todo. Cada uma verá finalmente sua contribuição personificada sob o controle da Hierarquia dos Senhores da Compaixão e dos Mestres da Sabedoria. A restauração do antigo controle atlante pelas forças espirituais está ainda no futuro, mas a Era de Aquário verá a restituição desse governo interno e espiritual numa volta mais alta da espiral.

Tudo isso será inevitavelmente produzido pelo trabalho daqueles que agem em um ou outro dos cinco controladores a que me referi acima. Nada pode interromper ou, na verdade, impedir seu efeito unido. Este é um ponto que gostaria de lembrar-vos. O homem moderno está pronto a condenar a ideologia que não lhe seja familiar e para a qual ele não tenha uso. Repudia aquelas ideias que não jazem na base de sua vida nacional e pessoal, ou na tradição, e que não lhe conviriam como indivíduo nem iriam de encontro à necessidade da nação à qual ele pertence.

O reconhecimento destes fatos conduziria a dois resultados, se corretamente utilizados: primeiro, o indivíduo que aceita e é devotado a uma ideologia particular, cessaria de antagonizar outras ideologias, pois lembrar-se-ia que o acidente do nascimento e de ambiente é grandemente responsável por fazer dele - como indivíduo - o que ele é e na determinação de seus credos. E, segundo, terminaria com a tentativa de impor uma ideologia pessoal ou nacionalmente aceita (política ou religiosa) a outras nações ou pessoas. Estes são passos básicos em direção à paz e compreensão finais, e daí eu os enfatizar hoje.

Será útil se, em seguida, eu relacionar os três maiores centros planetários de energia com os cinco raios que trabalham hoje em dia, para a consumação do Plano para a raça. Três destas correntes de energia trabalham poderosamente no mundo, agora, e duas outras lutam para expressar-se. Destas últimas, uma luta pelo domínio e a outra para manter o que, tão longamente, controlou. Isto se refere ao sétimo raio entrante e ao sexto raio que sai. Constituem, em sua dualidade, as forças progressivas e reacionárias que tentam governar o pensamento humano, determinar a evolução da natureza e a humana, e produzir amplamente civilizações e culturas diferentes - uma das quais seria a perpetuação e a cristalização do que agora existe e a outra, que seria inteiramente nova, como consequência do presente tumulto mundial, e cuja natureza é difícil para o estudante comum conceber.

Estas cinco energias, juntas, determinarão a tendência dos negócios mundiais. O Problema ante a Hierarquia a este tempo é, então, o de dirigir e controlar estas atividades poderosas para que o Plano possa ser corretamente materializado, e o final deste século e o princípio do próximo vejam os propósitos de Deus para que o planeta e a humanidade assumam a direção e a proporção corretas. Desta maneira, a nova cultura para os relativamente poucos e a nova civilização, para os muitos durante a era vindoura, começarão de tal maneira que os povos da terra poderão entrar numa era de paz e verdadeiro desenvolvimento - espiritual e material. Gostaria de vos lembrar de que por verdes o quadro mundial como de caos extraordinário, de ideologias conflitantes e de forças combatentes, de perseguição de minorias, de ódios que acarretam uma furiosa preparação para a guerra, de ansiedade mundial e terror, não significa que estareis vendo o quadro em sua realidade. Estais vendo o que é superficial, temporal, efêmero e voltado inteiramente para o aspecto forma. A Hierarquia está ocupada primordialmente, como bem o sabeis, com o aspecto consciência e com o desenvolvimento da consciência, usando a forma como um meio apenas para a realização de seus planos. Um estudo mais apurado das forças que estão produzindo o turbilhão exterior pode servir para esclarecer vossa visão e restituir-vos confiança no plano de Deus e seu amor e benquerença divinos. Consideremos, portanto, essas forças e seus centros de origem, e talvez assim adquiramos uma nova visão e um ponto de vista mais construtivo.

Início